BUGREBUGRE - 42 anosMODELOS0 KM E TRANSFORMAÇÃONOTÍCIASCOMPETIÇÕES E EVENTOSGaleria de imagem
UM CARRO DE FIBRA
BUGRE - 42 anos


Foto: BUGRE modelo I

HISTÓRIA DA BUGRE

A BUGRE® é a pioneira na fabricação de buggies com design genuínamente brasileiro e com capital nacional. Tem suas raízes como construtora e preparadora de veículos de competição nos anos 60, estabelecida em meados de 1970 por seu fundador Francisco Cavalcante no bairro de Bonsucesso na cidade do Rio de Janeiro fabricando buggies quando estes se tornaram moda no Brasil, mania trazida da Califórnia (E.U.A.). Com preços mais acessíveis do que os kits importados, dominou rapidamente o mercado brasileiro.

“...Até o ano de 1979 a BUGRE era a única fabricante de buggies num mercado desinteressado e sem amparo da legalidade a nível nacional. Até o ano de 1972, os BUGREs eram emplacados – no estado do Rio de Janeiro – somente em Petrópolis. Depois de muita luta, o ex-Estado da Guanabara aceitou o emplacamento do “estranho” veículo. Assim, a BUGRE se tornou não apenas a pioneira na produção industrial dos buggies genuinamente brasileiros livres de royalties, como a campeã na luta pela legalização do carro”. (fonte: Jornal do Brasil – encarte CARRO & MOTO – 05/03/1983 – Título matéria: “Boom” do estilo tropical de carro.)

A BUGRE® tem como missão fabricar carros com maior resistência, durabilidade, praticidade e maior desempenho com mais economia, atendendo às exigências legais e de mercado. A estrutura de seus modelos permite o acesso tanto em áreas de areia quanto de terra e sua modelagem em fiberglass (termo utilizado para designar “plástico reforçado com fibra de vidro") o livra do grande fantasma da corrosão. Os veículos da marca BUGRE@ sempre tiveram adeptos também nas cidades, por ser diversificada a utilização destes entre seus usuários.


PARTE I


Francisco Cavalcante iniciou sua bem sucedida carreira quando fez curso de sistemas hidramáticos conferido pela General Motors do Brasil - SP no início dos anos 50, tornando-se o responsável técnico pela montagem de Kits (Sistema de Montagem CKD - Completely Knocked Down - Completmente desmontado) importados dos E.U.A. de pick-ups e caminhões. De 1955 à 1960, foi o responsável técnico geral da Mopema, na época maior retífica de motores do Rio de Janeiro. Ainda nas dependências da Mopema foi o responsável técnico pela montagem de 28 Kits (CKD) de veículos marca PLYMOUTH de procedência americana. No início dos anos 60 fundou a SERVI_VOLKS uma das primeiras oficinas especializadas em Volkswagem na cidade do Rio de Janeiro.

Em 1965, criou seu primeiro protótipo com mecânica VW, em chapa de aço e em perfil “U” - um jipinho. No ano seguinte começou a participar de competições, montando e preparando um monoposto (Fórmula VÊ 1200) equipados com motor VW 1200. Em 1969 criou e preparou um veículo classe Força Livre - Casquinha - feito com a carroceria original da VW alemã 1953, rebaixada 25 cm, com agregados mecânicos suspensos em 15 cm, chegando a uma altura total de 1,20 m no máximo, rodas aro 15” e com motor VW 1600 CC. Este esportivo protótipo registrou o record extra oficial para veículo desta categoria no antigo circuito de Jacarepaguá / RJ.

                                       
Formula VÊ - montado por Francisco Cavalcante


Em 1970, com toda experiência adquirida, fundou a BUGRE® e lançou seu primeiro modelo, o BUGRE I


Nos anos subsequentes foram produzidos os modelos BUGRE SS (1971) e o BUGRE II (1972). O BUGRE SS fugia à linha tradicional dos buggies, este pequeno conversível constituía uma espécie de meio-termo entre buggy convencional e carro esportivo, seu baixo peso aliado a sua aerodinâmica lhe proporcionava uma performance incomum que permitiu vencer todas as competições no antigo autódromo RJ. Em 1972, a fábrica produziu um protótipo do BUGRE M150, cuja sigla homenageava o Sesquicentenário da Proclamação da Independência do Brasil, que se comemorava naquele ano. Este modelo participou de algumas competições realizadas no Autódromo de Jacarepaguá / RJ depois de substituir o BUGRE modelo SS, tornando-se Campeão Carioca de Automobilismo em 1972 e BI em 1973. O modelo campeão do M150 foi apresentado em novembro de 1972 no “Fittipaldi Motor show” – evento em que se comemorava o 1º Título de Emerson Fittipaldi na F-1, realizado no Estádio de Remo da Lagoa / RJ. Somente em 1974 ele foi lançado no mercado com algumas modificações. Em 1977, foi concebido o protótipo de um modelo de curta distância entre eixos, com limite para duas pessoas, destinado a trabalhos de compra e reboque de veículos, nunca foi produzido em linha, mas chegou a ser batizado carinhosamente de BUGRINHO. A família BUGRE crescia e evoluía e mais um modelo era lançado em 1978 - o BUGRE III. Ainda em 1978 Francisco Cavalcante preparou um Passat TS para a Divisão I, além de desenvolver motores à gasolina e a álcool. Em 1979 desenvolveu mais um projeto grandioso, criou um Motor-Home sobre mecânica Mercedes-Bens (608 D) para fins de turismo, projeto finalizado, mas não produzido em linha. Acompanhando a tendência Off-Road, a BUGRE® criou o modelo FC-15 (tipo jipe) que utiliza longarinas dianteira e traseira da Kombi formando um chassi tipo escada e com a tradicional mecânica resistente. Sua criação e confecção, teve início em 1976, sendo lançado na Feira do Automóvel a Álcool em novembro de 1983 e rapidamente se tornou um sucesso de vendas adquirido por empresas e particulares para as mais diversas finalidades.

Em meados de 1980 a BUGRE® amplia suas instalações chegando a produzir em outubro do ano seguinte 60 unidades/mês, totalmente montados nas dependências da empresa. Em 1982, a BUGRE® na posição de fabricante de veículos nacionais, fora as grandes montadoras, ocupava o 3º lugar, logo após a Puma e a Gurgel, empresas estas que não resistiram às crises financeiras nacionais e mundiais e desapareceram do mercado na década de 90. Em 1984 após a grave crise mundial de petróleo, a BUGRE® volta a produzir somente em seu endereço original. 


Foto: Emerson Fittipaldi e Francisco Cavalcante - Modelo campeão do M150


A BUGRE é a mais tradicional fábrica de veículos especiais do país em funcionamento desde 1970 ininterruptamente, ditando os valores de mercado e influenciando diretamente seus concorrentes. Espaço conquistado com muita perseverança, profissionalismo, criatividade e respeitabilidade a seus clientes.

A BUGRE é uma pequena empresa com grandes contribuições na história do automobilismo carioca e no mercado automobilístico nacional

_______________________________________________

PARTE II

Em 1991 a fábrica BUGRE® passa a ser administrada por Paulo Cavalcante, que herdou do pai este amor pelo automobilismo. Com grande experiência em mecânica soube dar continuidade a este segmento de mercado de veículos especiais, o qual a BUGRE® sempre foi líder. Em 1978, Paulo foi colaborador direto na preparação do protótipo Passat TS para a Divisão I, além de ser o piloto de competição do mesmo. Os BUGREs modelos IV (1980) e V (1983) são suas criações, com a colaboração de Francisco Cavalcante. As introduções inseridas no projeto do BUGRE V foram baseadas em aerodinâmicas e beleza, agradando e atendendo às necessidades de um mercado versátil e exigente. A BUGRE® também preparou um veículo de AUTOCROSS com mecânica VW, que participou de várias provas entre 1986 a 1993, pilotado por Paulo Cavalcante. Este veículo serviu de laboratório para a BUGRE® trazendo grande aprimoramento no desenvolvimento e aperfeiçoamento não só dos produtos, mas também na equipe de mecânicos da fábrica, melhorando ainda mais o desempenho de seus carros.

 


Foto: AUTOCROSS - participou de provas de 1986 a 1993.

Antecipar tendências e visualizar oportunidades foram pontos fundamentais na tomada de decisão de transferir em 2005 a BUGRE® para Rio Bonito - RJ 124 / Via Lagos, principal acesso à Região dos Lagos e à 2 km da BR 101- rodovia federal litorânea que liga o Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte. A ampla instalação da BUGRE® possibilitou aumento de produção e sua localização privilegiada facilitou melhor atendimento a todo país.

A BUGRE® no ano de 2000 instalou uma loja em Armação de Búzios, cidade litorânea do Rio de Janeiro de beleza ímpar, que recebe turistas brasileiros e estrangeiros, além dos moradores fixos e de final de semana que mantêm a cidade movimentada o ano inteiro. A BUGRE® conquistou seu espaço entre este público e também entre os locatários de buggies da região. Em 2005 esta loja foi desativada em função da mudança da fábrica para a Via Lagos.

Os modelos BUGRE® agradam pessoas de todas as gerações, por isso está sempre inovando para atender este nicho de mercado constituído por consumidores que gostam de liberdade, aventura e segurança associado à dinâmica e beleza. Pensando nisso, em 2008 foi lançado o BUGRE VII, uma evolução no desenho em relação aos modelos tradicionais, o qual tem grande aceitação no mercado.

BUGRE modelo VII

Com o pioneirismo de criação de modelos novos e a introdução de novos conceitos tecnológicos agregando valores à modelagem em fiberglass, em 2004 foi desenvolvido com apoio do SEBRAE e convênio com o INT (Instituto Nacional de Tecnologia) – Divisão de Desenho Industrial I – uma versão inovadora no conceito de buggy. Este modelo permaneceu stand-by devido a mudança da unidade fabril e a necessidade de inovação mecânica, sendo retomada a sua preparação para ser lançado no Verão 2009/2010.

Atualmente a BUGRE® está produzindo somente o buggy modelo VII, abrindo exceção para o modelo IV (linha tradicional). Está previsto para 2010, na comemoração dos 40 anos da BUGRE, o relançamento do modelo FC-15 com mecânica e detalhes atualizados.

A BUGRE® também TRANSFORMA veículos Volkswagem refrigerados a ar (Fusca, Brasília, Variant, Karmann Ghia e TL) com mecânica fornecida pelo cliente (devidamente documentados), totalmente revisados pela fábrica (na página “TRANSFORMAÇÃO” deste site, o visitante obterá maiores informações). Este processo de transformação está de acordo com as normas do DENATRAN (Departamento Nacional de Trânsito), CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) e INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial). A BUGRE® aceita pedido de REFORMA dos veículos por ela fabricados, trazendo de volta toda a originalidade dos autênticos veículos da marca BUGRE®.

_______________________________________________


PÚBLICO ALVO

Os buggies sempre foram muito populares nas praias do litoral brasileiro, pois suas carrocerias são construídas em Fibra de Vidro tornando-os resistentes a maresia e a corrosão, apesar de terem adeptos também nas cidades e nos campos. Amantes de buggies começam a se unir, participando de clubes organizados para passeios e competições. BUGRE hoje é muito mais que um modelo de carro de praia, é sinônimo de liberdade, irreverência, praticidade e juventude, mas também é utilizado em algumas atividades que exijam  um  CARRO DE FIBRA, enfim, a BUGRE® abrange um público diversificado conforme especificamos abaixo:

FAMÍLIA – usado no dia a dia como opção de segundo/terceiro carro da família para poupar o veículo principal. O BUGRE tem características próprias para fins práticos e de lazer no litoral, no campo e na cidade. No Brasil existem inúmeros clubes de buggies onde a família pode se inscrever e participar de passeios e competições que acontecem o ano inteiro, resgatando a sensação de liberdade e aventura almejada por todos.

BUGGUEIROS – ganham a vida dirigindo ou alugando esse tipo de veículo para turistas no litoral.

CORPO DE BOMBEIRO / SALVA-VIDAS / PMs– algumas cidades brasileiras incorporaram os veículos da marca BUGRE® na frota de viaturas dessas corporações.

Foto: BUGRE do 4º GMar - CBMERJ


PREFEITURAS - órgãos municipais de algumas cidades brasileiras ligados ao meio ambiente também estão aderindo esta idéia, por ser um veículo resistente, manutenção barata e capacitado para andar em terrenos acidentados, facilitando os fiscais de chegarem em áreas de difícil acesso mais rapidamente.

HOTEL FAZENDA / RESORTS – os buggies já fazem parte da estrutura de lazer dos melhores hotéis fazendas e resorts do país.

AGÊNCIAS DE VIAGENS – há agências que oferecem serviço de turismo em Áreas de Proteção Ambiental (APA), através de licença ambiental emitida pelo IBAMA, onde só é permitido alguns meios de transporte especiais como pequenas embarcações e buggies convencionais. Hoje em dia é muito comum se falar em “Turismo Rural, Ecoturismo e Turismo Sustentável” e o BUGRE é uma excelente opção de veículo para andar em areia, campo, estradas de chão, terrenos acidentados e afins, e assim proporcionar aos adeptos de passeios ecologicamente corretos entretenimentos diversos sem agredir a natureza.



11000000111111111111111110101010101000001010000011111111101010101111111110000000100000001000000011001100100010001000100010000000
BUGREBUGRE - 42 anosMODELOS0 KM E TRANSFORMAÇÃONOTÍCIASCOMPETIÇÕES E EVENTOSGaleria de imagem